segunda-feira, 25 de setembro de 2017

LITURGIA DIÁRIA - A LÂMPADA DEVE FICAR NO ALTO

Resultado de imagem para Lucas 8,16-18

1a Leitura - Esdras 1,1-6
Leitura do livro de Esdras.
1 1 No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a profecia posta pelo Senhor na boca de Jeremias, o Senhor suscitou o espírito de Ciro, rei da Pérsia, o qual mandou fazer em todo o seu reino, de viva voz e por escrito, a proclamação seguinte: 2 "Assim fala Ciro, rei da Pérsia: o Senhor, Deus do céu, deu-me todos os reinos da terra, e encarregou-me de construir-lhe um templo em Jerusalém, que fica na terra de Judá. 3 Quem é dentre vós pertencente ao seu povo, que seu Deus o acompanhe, suba a Jerusalém que fica na terra de Judá e construa o templo do Senhor, Deus de Israel, o Deus que reside em Jerusalém. 4 Que todos os sobreviventes (de Judá) onde quer que residam, sejam providos pelos habitantes da localidade onde se encontrarem, de prata, ouro, cereais e gado, bem como de oferendas voluntárias para o templo do Deus que reside em Jerusalém".
5 Então os chefes de família de Judá e de Benjamim, bem como todos os sacerdotes e os levitas, principalmente todos aqueles cujo espírito Deus havia tocado, prepararam-se para ir reedificar o templo do Senhor em Jerusalém. 6 Todos os que habitavam pelas redondezas ajudaram-nos, dando-lhes prata, ouro, bens diversos, gado, cereais e coisas preciosas, além das outras ofertas voluntárias.
Palavra do Senhor.

Salmo - 125/126
Maravilhas fez conosco o Senhor!

Quando o Senhor reconduziu nossos cativos,
parecíamos sonhar; 
encheu-se de sorriso nossa boca,
nossos lábios, de canções.

Entre os gentios se dizia: “Maravilhas
fez com eles o Senhor!” 
Sim, maravilhas fez conosco o Senhor,
exultemos de alegria!

Mudai a nossa sorte, ó Senhor,
como torrentes no deserto. 
Os que lançam as sementes entre lágrimas,
ceifarão com alegria.

Chorando de tristeza sairão, 
espalhando suas sementes; 
cantando de alegria voltarão,
carregando os seus feixes!
 Resultado de imagem para JESUS E MULTIDAO
Evangelho - Lucas 8,16-18
Aleluia, aleluia, aleluia.

Vós sois a luz do mundo; brilhe a todos a vossa luz. Vendo eles vossas obras, deem glória ao Pai celeste! (Mt 5,16)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
8 16 Disse Jesus: “Ninguém acende uma lâmpada e a cobre com um vaso ou a põe debaixo da cama; mas a põe sobre um castiçal, para iluminar os que entram.
17 Porque não há coisa oculta que não acabe por se manifestar, nem secreta que não venha a ser descoberta. 18 Vede, pois, como é que ouvis. Porque ao que tiver, lhe será dado; e ao que não tiver, até aquilo que julga ter lhe será tirado”.
Palavra da Salvação.
 
 
Jesus disse que ninguém acende uma lâmpada para cobri-la com uma vasilha ou colocá-la debaixo da cama, ao contrário, a luz deve ficar no  alto para clarear o ambiente.
Do mesmo modo, a nossa luz de cristãos que reflete  a luz  do alto, deve clarear as mentes das pessoas, com o nosso exemplo, e com o nosso testemunho.
Se por um lado não devemos fazer as coisas para sermos notados, para aparecer diante dos demais, por outro lado, o nosso  testemunho é indispensável, para que ele seja copiado por todos os presentes.  Porém, tudo o que fizermos deve ser de forma autêntica, sincera, e com muita devoção.
Jesus disse  ainda que tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto; e tudo o que está em segredo deverá tornar-se conhecido
e claramente manifesto.
 
Portanto, a nossa luz só brilhará se realmente formos pura expressão da  verdade verdadeira. Pois, do contrário, não iluminaremos o ambiente, não esclareceremos a ninguém, não conduzimos ninguém a conversão.
A nossa missão neste mundo é de dar testemunho da verdade. A nossa missão é converter a todos com os quais convivemos. Através da nossa postura de justiça, verdade e devoção.
E é aí que a nossa chama levará a claridade a todos os presentes. E é assim que a nossa luz fará o seu papel de iluminar em alta qualidade.
Portanto, prestai atenção à maneira como vós ouvis! Pois a quem tem alguma coisa, será dado ainda mais; e àquele que não tem, será tirado até mesmo o que ele pensa ter.' 
A primeira coisa que entendemos, ou queremos entende, com estas palavras de Jesus, é que Ele está falando dos bens materiais, da riqueza.  É fato que os ricos têm o poder de investir, e assim ganham mais e muito mais e cada vez mais o volume da sua riqueza cresce todo dia.
Ao contrário, o pobre, vive uma bola de neve ao contrário:
Não tendo dinheiro para comprar comida, e para estudar, ele fica fraco, e sem o preparo para conseguir um emprego que lhe dê um salário melhor. Desse modo, não se alimentando, fica fraco, e não pode trabalhar, não tendo estudo, preparo profissional, ele não consegue ganhar o suficiente para o seu sustento e de sua família. E por tudo isso fica doente, e mais decaído.
Por essas palavras, nós podemos interpretar também o seguinte:
Quem não tem fé, quem não se interessa pela palavra de Deus e vive no pecado, tudo de ruim lhe acontece. Tudo de mal ele atrai sobre si. Quem vive pelo ódio, pela violência, acaba morrendo cedo, acaba morrendo pela sua própria maldade. Pois quem procura, acha.
Para aqueles que têm fé, boa vontade, dedicação, lhe será dado ainda mais recursos para atingir a santidade, para continuar a sua missão de evangelizar, com a palavra e com o testemunho.
Você é uma dessas, um desses. Certo? Que beleza! Então siga em frente minha amiga, meu amigo! Se acontecer de vacilar na caridade, espera o momento certo para reparar-se com o  seu irmão. Deus sempre nos conduz a conversão, Deus sempre nos conduz a reconciliação uns com os outros. É só esperar o momento psicológico para reparar o estrago que as vezes causamos num momento de fúria, de nervosismo, de estresse, de raiva, etc.
Mantenha sua luz bem no alto, para clarear as mentes dos que estão a sua volta, para que o seu exemplo converta a todos.
 
 
 
 
  José Salviano.
 

AS 3 ORAÇÕES MAIS "PERIGOSAS" QUE VOCÊ PODE FAZER

Cuidado com o que você pede; você pode receber

Em 2014, Matthew Wenke e sua esposa viram sua filha Nora entrar em um convento para seguir a vocação como religiosa.
À medida que as portas se fechavam atrás da jovem, a família sabia que, se ela perseverasse, Nora nunca mais daria o ar da graça na casa deles. Isso porque, além de fazer os votos habituais – pobreza, castidade e obediência – as freiras passionistas fazem um quarto voto: o de clausura.
–– ADVERTISEMENT ––
Wenke, embora estivesse orgulhoso de sua filha e feliz pela alegria dela, precisava de um tempo para processar tudo o que estava acontecendo, porque, como ele escreveu: “Quando rezei pelas vocações, não quis dizer que Deus poderia tirar minha filha de mim”.
Aí é que mora o perigo: “Tome cuidado com o que você pede; você pode ser atendido”.
Frequentemente começamos as nossas orações, dizendo a primeira oração “perigosa”, que é: “seja feita a vossa vontade”.  Mas queremos alcançar a graça que buscamos sem ter que encontrar a Cruz.
Eu sei que faço isso o tempo todo e digo: “querido Deus, me ensine a ser uma pessoa melhor. Seja feita a sua vontade, mas não faça isso de maneira louca, que envolva algo trágico, ok? Não consigo lidar com isso”.
Muitas vezes, minhas orações seguem o estilo de Flannery O ‘Connor: “senhor, nunca serei um santo, mas eu posso ser um mártir se eles me matarem rapidamente”.
Queremos todas as bênçãos e, de preferência, com o menor sofrimento possível! Nós sempre pensamos: “por favor, não destrua a minha vida!”
Na verdade, essa é a segunda “oração perigosa”. Em uma recente entrevista para a Aleteia, uma jovem religiosa dominicana revelou que um orador, em uma conferência de jovens católicos, tinha desafiado os participantes a fazer a seguinte oração: “Ó Deus, arruíne a minha vida!” Ela topou o desafio. Mas, depois de fazer aquela oração audaciosa e perigosa, todo o seu mundo e suas perspectivas mudaram.
A terceira oração perigosa, porém, é aquela que o Pe. Brad Milunski, trouxe em sua homilia durante a Primeira Profissão da Ir. Frances Marie, do Coração Eucarístico de Jesus. Sim, essa é a filha de Matt Wenke, que está caminhando em sua clausura.
Na homilia, o Pe. Milunski admite que esta é uma oração corajosa: “Senhor, faça-me seu”:
“Quando eu estava começando o meu ministério paroquial, tive a sorte de estar perto de um convento de freiras em Nova Jersey. A madre superiora tornou-se minha diretora espiritual e compartilhou comigo um dia que, desde o início, sua única oração a Deus era simplesmente isso: ‘Faça-me sua’.
Devo confessar que voltei para o convento um pouco assustado com essa oração. Eu também estava um tanto aborrecido comigo mesmo por não conseguir fazer essa prece sem oferecer a Deus minha lista de notas de rodapé. Eu dizia: ‘Faça-me seu, mas aqui estão minhas sugestões, Senhor, sobre como você pode fazer isso’. Talvez seja uma coisa de moleque, mas eu desconfio que não”.
A homilia é realmente muito boa e merece uma leitura completa e atenta.
Eu mal tenho a coragem de dizer “Sua vontade, não a minha”, embora eu saiba que eu tenho o controle de poucas coisas e acredite – com todo o meu coração, porque eu sou verdadeira filha de São Filipe Neri – que “todos os propósitos de Deus são para o bem; embora nem sempre possamos entender isso, podemos confiar nisso”.
Eu acredito nisso porque eu vi, na minha vida, como as coisas que eram trágicas e sem sentido acabaram por servir um plano muito maior do que qualquer coisa que eu pudesse ter sonhado.
Tomemos os exemplos de São Paulo e Santa Teresa de Calcutá. Eles, em algum momento, fizeram suas perigosas orações a Deus, dizendo: “Use-me”. E acabaram sendo usados.
Então, sigamos estes exemplos, mas somente se não tivermos medo dessas “orações perigosas” e suas bênçãos.



Artigo publicado na edição em inglês da Aleteia, traduzido e adaptado ao português.

sábado, 23 de setembro de 2017

LITURGIA DIÁRIA - O TERRENO DO CORAÇÃO DE CADA UM É O QUE FAZ A DIFERENÇA

 Resultado de imagem para parábola do semeador
1a Leitura - 1 Timóteo 6,13-16
Leitura da primeira carta de são Paulo a Timóteo.
6 13 Em presença de Deus, que dá a vida a todas as coisas, e de Cristo Jesus, que ante Pôncio Pilatos abertamente testemunhou a verdade,
14 recomendo-te que guardes o mandamento sem mácula, irrepreensível, até a aparição de nosso Senhor Jesus Cristo, 15 a qual a seu tempo será realizada pelo bem-aventurado e único Soberano, Rei dos reis e Senhor dos senhores, 16 o único que possui a imortalidade e habita em luz inacessível, a quem nenhum homem viu, nem pode ver. A ele, honra e poder eterno! Amém.
Palavra do Senhor.


Salmo - 99/100
Com canto apresentai-vos diante do Senhor!

Aclamai o Senhor, ó terra inteira,
servi ao Senhor com alegria,
ide a ele, cantando jubilosos!

Sabei que o Senhor, só ele, é Deus,
ele mesmo nos fez, e somos seus,
nós somos seu povo e seu rebanho.

Entrai por suas portas dando graças
e em seus átrios com hinos de louvor;
dai-lhe graças, seu nome bendizei!

Sim, é bom o Senhor e nosso Deus,
sua bondade perdura para sempre,
seu amor é fiel eternamente!
Resultado de imagem para jesus e discipulos
Evangelho - Lucas 8,4-15
Aleluia, aleluia, aleluia.

Felizes os que observam a palavra do Senhor de reto coração e que produzem muitos frutos, até o fim perseverantes!

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
Naquele tempo, 8 4 havia se reunido uma grande multidão: eram pessoas vindas de várias cidades para junto dele. Jesus lhes disse esta parábola:
5 “Saiu o semeador a semear a sua semente. E ao semear, parte da semente caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram. 6 Outra caiu no pedregulho; e, tendo nascido, secou, por falta de umidade. 7 Outra caiu entre os espinhos; cresceram com ela os espinhos, e sufocaram-na. 8 Outra, porém, caiu em terra boa; tendo crescido, produziu fruto cem por um”. Dito isto, Jesus acrescentou alteando a voz: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!” 9 Os seus discípulos perguntaram-lhe a significação desta parábola. 10 Ele respondeu: “A vós é concedido conhecer os mistérios do Reino de Deus, mas aos outros se lhes fala por parábolas; de forma que vendo não vejam, e ouvindo não entendam. 11 Eis o que significa esta parábola: a semente é a palavra de Deus. 12 Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouvem; mas depois vem o demônio e lhes tira a palavra do coração, para que não creiam nem se salvem. 13 Aqueles que a recebem em solo pedregoso são os ouvintes da palavra de Deus que a acolhem com alegria; mas não têm raiz, porque crêem até certo tempo, e na hora da provação a abandonam. 14 A que caiu entre os espinhos, estes são os que ouvem a palavra, mas prosseguindo o caminho, são sufocados pelos cuidados, riquezas e prazeres da vida, e assim os seus frutos não amadurecem. 15 A que caiu na terra boa são os que ouvem a palavra com coração reto e bom, retêm-na e dão fruto pela perseverança”.
Palavra da Salvação.
 
 
Jesus contou a parábola da semente lançada, diante de uma grande multidão onde havia gente de todo tipo, para mostrar que todas as pessoas são chamadas a acolher a proposta de salvação do Pai e não somente alguns escolhidos. O semeador é Jesus, a semente é a Sua Palavra de salvação, o terreno é o nosso coração. O terreno bom é aquele coração que dá abertura ao Espírito Santo que é quem faz a semente germinar e crescer, pois, se não houver cultivo, a semente morre. A semente é sempre uma só, no entanto, a qualidade do terreno do coração de cada um é o que muda e faz a diferença para a abundância da colheita.    A parábola nos revela que nas quatro situações em que a Palavra foi anunciada, as pessoas ouviram, entretanto só deu fruto de perseverança quem OUVIU com um coração bom e generoso. Não nos basta apenas estar presente e escutar a mensagem do Evangelho com indiferença e desatenção. O mais importante é ter um coração contrito e atento que não questiona, porque confia, e acolhe a mensagem de Deus. O coração que não tem profundidade é superficial e distraído, por isso, não consegue alcançar o pensamento de Deus e facilmente é vencido pelas sugestões do inimigo. O coração preocupado com os afazeres da vida é fechado e duro e se torna também solo impróprio para apreender os mistérios de Deus. O coração preso a si mesmo e aos seus sofrimentos é chão inútil para que germine algo frutífero, pois está sempre voltado para as suas angústias e não dá chances para que o Espírito Santo realize nele a sua obra. O coração bom e  generoso, no entanto, é aquele que se abre, não somente para escutar, mas para viver segundo a Palavra que lhe foi anunciada. Este, sim, consegue dar fruto na perseverança, e seguir passo a passo o caminho proposto por Jesus.  Deus conhece todos os corações, e sabe o que é providencial para cada um de nós. Ele nos instrui e orienta por meio da Sua Palavra que sonda e perscruta o nosso íntimo e ilumina a nossa inteligência. Quando nós abrimos os nossos ouvidos o nosso entendimento também se alarga e nós podemos, com toda a certeza, dar frutos que podem alimentar o mundo.   - Como você tem acolhido a palavra de Deus. Como uma história ou como ensinamento para a vida? – Como é o terreno do seu coração? – Você duvida da Palavra de Deus? – Você costuma discordar quando alguma mensagem vem de encontro aos seus interesses?  - Você também semeia? E quando o terreno não é bom, dá trabalho o que você faz, desiste ou insiste?
 
 
 
 
Helena Serpa 

COMO PERDOAR COISAS IMPERDOÁVEIS ?

A pessoa que não perdoa continua sendo escrava de quem a ofendeu.


 Antonio Guillem | Shutterstock


Não sei muito bem se nesta vida há coisas imperdoáveis. Há pecados terríveis. Quantos assassinatos! Quanta corrupção! Às vezes, penso que há coisas que me parecem imperdoáveis. Como perdoar o assassino de um ente querido? Ou a infidelidade de alguém que eu amo? Para mim parece impossível.
Para o homem é impossível, é verdade. Mas não para Deus. Eu carrego ofensas que não consegui perdoar. Elas me parecem imperdoáveis. Em algumas ocasiões, creio que isso acontece pela magnitude da ofensa, pelo dano causado.
–– ADVERTISEMENT ––
Outras vezes, pela atitude de quem me ofendeu uma ou mil vezes e acha que fez bem. Nunca se arrepende, nunca pede perdão. Essa atitude, para mim, é imperdoável.
Porém, creio que o problema é mais meu que do daquele que me ofendeu. Guardo rancores na alma por ofensas que, talvez, quem me ofendeu já tenha esquecido. Ou nunca soube. Não é consciente do que eu guardo na lembrança. Eu mantenho minha postura. Não perdoo. Não é justo.
Quando me lembro da ofensa, fico indignado novamente. Quase como se aquilo estivesse acontecendo agora mesmo, outra vez. O mesmo sentimento de raiva, de ira. A cólera me cega. Mas eu não perdoo. Porque não me parece justo perdoar tudo. Acho que há coisas imperdoáveis. Há pessoas que não merecem o perdão.
Miriam Subirana comenta: “Se estamos magoados, a via de saída passa por aceitar e perdoar. Perdoar mostra que nós somos donos de nosso bem estar e deixamos de ser vítimas do outro. Sem esse domínio nossa mente irá, uma ou outra vez, até esse lugar de sofrimento, repetirá o “por que comigo?”, “como se atreveu?”. Os pensamentos serão como um martelo constante, e os sentimentos de raiva, frustração e tristeza não serão controlados. Como um verme, seus próprios pensamentos consumirão as entranhas de  eu ser e você ficará esgotado, sem energia.”
Não quero que isso aconteça em minha alma. Mas sempre ocorre quando não estou disposto a perdoar. Não é que eu não consiga fazê-lo. É que não quero. Não me parece educativo para o que ofende. Ele não receberia o pagamento proporcional ao mal causado. Não haveria justiça. Não pode ser.
E continuo sofrendo, porque o ódio e a raiva consomem minha alma. Vou afundando na minha própria lama. Encho-me de veneno e de amargura. Não quero perdoar para sair dessa encruzilhada. Continuo ofendido. Que não pensem que eu já esqueci. Continuo sendo o escravo de quem me magoou. Ele segue tendo domínio sobre mim. Sem saber.
Creio que esse não seja o caminho. Muitas pessoas me dizem que não estão dispostas a perdoar a quem lhes ofendeu. Não querem. Isso me surpreende. Estão cheias de ódio. Guardam raiva ao recordar a ofensa. Magoam-se. Não perdoam.
Talvez o Evangelho me motive a querer perdoar. É um primeiro passo para sair da prisão da minha própria raiva. É só o começo de um caminho difícil, mas que sempre começa com um desejo, o desejo de perdoar de coração.
Hoje, vejo as ofensas que guardo e me pergunto se as perdoei. Talvez, no meu interior, guardo ofensas não esquecidas, não perdoadas. Quero que Deus me presentei o desejo de perdoar. De perdoar a quem me ofendeu. Sete vezes. Setenta vezes sete. 




Padre Carlos Padilla

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

LITURGIA DIÁRIA - UM CORAÇÃO CURADO É AGRADECIDO

 Imagem relacionada
1a Leitura - 1 Timóteo 6,2-12
Leitura da primeira carta de são Paulo a Timóteo.
Caríssimo, 6 2 e os que têm patrões que abraçaram a fé, nem por isto os menosprezem, sob pretexto de serem irmãos. Ao contrário, deverão servi-los ainda melhor, pelo fato de que eles são fiéis amados de Deus e participantes de seus benefícios. Tal deve ser o tema de teus ensinamentos e de tuas exortações.
3 Quem ensina de outra forma e discorda das salutares palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, bem como da doutrina conforme à piedade, 4 é um obcecado pelo orgulho, um ignorante, doentio por questões ociosas e contendas de palavras. Daí se originam a inveja, a discórdia, os insultos, as suspeitas injustas, 5 os vãos conflitos entre homens de coração corrompido e privados da verdade, que só vêem na piedade uma fonte de lucro. 6 Sem dúvida, grande fonte de lucro é a piedade, porém quando acompanhada de espírito de desprendimento. 7 Porque nada trouxemos ao mundo, como tampouco nada poderemos levar. 8 Tendo alimento e vestuário, contentemo-nos com isto. 9 Aqueles que ambicionam tornar-se ricos caem nas armadilhas do demônio e em muitos desejos insensatos e nocivos, que precipitam os homens no abismo da ruína e da perdição. 10 Porque a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro. Acossados pela cobiça, alguns se desviaram da fé e se enredaram em muitas aflições. 11 Mas tu, ó homem de Deus, foge desses vícios e procura com todo empenho a piedade, a fé, a caridade, a paciência, a mansidão. 12 Combate o bom combate da fé. Conquista a vida eterna, para a qual foste chamado e fizeste aquela nobre profissão de fé perante muitas testemunhas.
Palavra do Senhor.


Salmo - 48/49
Felizes os humildes de espírito,
porque deles é o reino dos céus.

Por que temer os dias maus e infelizes,
quando a malícia dos perversos me circunda?
Por que temer os que confiam nas riquezas
e se gloriam na abundância de seus bens?

Ninguém se livra de sua morte por dinheiro
nem a Deus pode pagar o seu resgate.
A isenção da própria morte não tem preço;
não há riqueza que a possa adquirir,
nem dar ao homem uma vida sem limites
e garantir-lhe uma existência imortal.

Não te inquietes quando um homem fica rico
e aumenta a opulência de sua casa;
pois, ao morrer, não levará nada consigo,
nem seu prestígio poderá acompanhá-lo.

Felicitava-se a si mesmo enquanto vivo:
“Todos te aplaudem, tudo bem, isto que é vida!”
Mas vais-se ele para junto de seus pais,
que nunca mais e nunca mais verão a luz!
Resultado de imagem para Lucas 8,1-3
Evangelho - Lucas 8,1-3
Aleluia, aleluia, aleluia. Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelaste os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Mt 11,25)
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
8 1 Depois disso, Jesus andava pelas cidades e aldeias anunciando a boa nova do Reino de Deus.
2 Os Doze estavam com ele, como também algumas mulheres que tinham sido livradas de espíritos malignos e curadas de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demônios; 3 Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes; Susana e muitas outras, que o assistiram com as suas posses.
Palavra da Salvação.

Quando temos uma experiência com Jesus e a cura do nosso coração, naturalmente também nos dispomos a acompanha-Lo  e a demonstrar gratidão oferecendo tudo o que possuímos. Por essa razão, neste Evangelho nós vemos que além dos doze apóstolos que foram chamados pessoalmente por Jesus e provaram da Sua intimidade, também as mulheres curadas e libertadas dos males que as afligiam e as suas vidas transformadas, O seguiam por todos os lugares. Demonstraram gratidão ajudando a Jesus e aos discípulos com os bens que possuíam.  A salvação de Jesus se faz presente em todas as áreas da nossa vida, e quando somos tocados (as) pelo Amor de Deus nós nos sentimos libertados (as) dos “maus espíritos”, isto é, das coisas que nos paralisam e, por isso, temos também um coração agradecido. Isso costuma acontecer com cada um de nós quando temos um encontro com a pessoa de Jesus Cristo e uma experiência com o Seu poder curador.  Nós também, naturalmente, nos tornamos  Seus seguidores e os bens que possuímos neste mundo, poucos ou muitos, nós os consideramos como bênção que deve estar à disposição do reino de Deus.  A nossa experiência com Jesus vivo e ressuscitado nos leva a segui-Lo e a participar concretamente no Seu projeto salvífico. Seguir a Jesus é observar a Sua Palavra, é viver o Seu amor, é ter esperança, é fazer a diferença no meio da multidão; é andar na contramão de tudo quanto o mundo prega como verdade. Quando vivemos nesta perspectiva nós estamos correspondendo ao que Deus espera de cada um de nós na missão que Ele nos destinou.  Diz-se que o homem demonstra a fé quando abre o bolso. -  E você,  tem ajudado a Jesus com os bens que possui? - Em Nome de Jesus você tem partilhado com alguém – Você também está seguindo Jesus por onde vai ou somente quando está na Igreja, na comunidade, no grupo? -Você está andando na mão ou na contramão dos “valores” do mundo?





Helena Serpa 

ENTRE O PASSADO E O FUTURO

Algumas pessoas vivem entre o passado que não superaram e o futuro que lhes dá medo.

 

Racorn - Shutterstock

 

Muitas pessoas já responderam à pergunta “Se você pudesse voltar ao seu passado e fazer algo, o que faria?”. A maioria diz que mudaria isso e aquilo, que não conheceria tal pessoa, que faria todo o esforço possível para conhecer outra, que escolheria determinado curso na faculdade, que não aceitaria entrar em seu trabalho atual, que iria morar em uma cidade diferente, que amaria mais as pessoas antes dela partirem, que teria mais cuidado para não machucar seus amigos, que passaria mais tempo com a família, e por aí vai.
As pessoas tentariam transformar aquilo que elas mesmas fizeram, iriam tomar outra direção, fazer uma escolha nova e trilhar um caminho desconhecido que poderia ter mudado todo o rumo de suas vidas. Mas até hoje não inventaram a tal máquina do tempo que tem o poder de nos levar de volta aos dias passados, então a triste ou feliz noticia é que aquilo que temos e somos hoje é o suficiente para tomarmos uma postura diferenciada que tem também o poder de mudar nosso futuro.
Pois nunca é tarde para tomarmos um rumo que não ousamos ir antes, mas é custoso, trabalhoso e exige de nós esforço para lutarmos por aquilo que enche nosso peito de luz, que queima o coração de desejo e que nos dará uma enorme satisfação. E quanto mais se pensa nesse amanhã que chegará e o que faremos dele, algo ruim inunda o corpo e o faz tremer, pois se antes errou em algumas decisões, qual é a probabilidade de não falhar novamente agora? Qual são as chances de outra vez trilhar caminhos que levaram a abismos?
O medo assusta. O medo paralisa. O medo impede o nosso agir. Mas o medo aliado a lembranças passadas que são desagradáveis faz a experiência do novo se tornar ainda pior, pois quando tentamos dar aquele primeiro passo decisivo algo em nós grita o tombo que levamos antes. Diz que pode acontecer de novo, que não há certezas, garantias, segurança. E todos esses pensamentos geram um ciclo vicioso de quando se tenta andar, então o medo vem, as lembranças nos encham, e ficamos no mesmo lugar até termos um pouco de coragem de tentar outra vez.
Porém, nós não fomos criados nem para ficarmos aprisionados ao passado e nem para temermos o futuro. Não nascemos para carregar uma mala pesada por aí cheia de memórias dolorosas, mas nós viemos para o recomeço porque o Criador de tudo sabia que iriamos falhar, porém para cada novo erro Ele nos daria uma nova chance.
Então, ficarmos vivendo constantemente o ontem é dizer a Deus que não aceitamos o recomeço. É falar que estamos bem apesar do cansaço ao nadar num mar de lembranças e que não aceitaremos nenhum resgate, e nem sequer um bote salva-vidas. É recusar um curativo para uma ferida que não para de sangrar, é achar que podemos nos curar sem tomarmos nenhuma providência. E que o futuro não traz nada de bom para nós, que ele é nebuloso, incerto, assustador, e por isso preferimos continuar nesse pedaço de passado aonde construímos nossa casa e sabemos de tudo que existe ao nosso redor.
Mas Ele novamente sussurra para nós: “Vocês não foram criados para viverem assim. Em mim há liberdade. Saiam de suas prisões”.
“Porque Sou Eu que conheço os planos que tenho para vocês”, diz o Senhor, “planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.” (Jeremias 29,11) Planos esses que podemos conhecer à medida que vamos até Ele em oração e nessa relação de Pai e filhos iremos sendo capacitados para o nosso propósito.
De permitirmos nossa vulnerabilidade e nos despirmos das máscaras que nos escondem, e sermos aquelas pessoas medrosas, com lados sombrios e sonhos impossíveis, porque é mostrando o que somos que podemos receber a luz que irá nos tirar da escuridão. A luz que será o farol que mostrará o caminho enquanto vagamos perdidos em saber para onde ir. Essa luz que além de guiar tem o poder de consolar, curar o passado, secar as lágrimas e nos pegar no colo se estivermos cansados demais para andar. Essa luz que é Jesus.
Mas até para aquele que não tem fé ou tem outra crença, ainda há saídas para ele sair de seu calabouço e respirar o ar fresco que rodopia do lado de fora. O melhor jeito de começar é perdoando a si mesmo e aos outros, sabendo que todo humano é propenso ao erro e que pode ferir até mesmo quem mais ama.
Reconhecendo que nós infelizmente perdemos tempos demais com coisas sem importância e que muitas vezes percebemos tarde que perdemos oportunidades valiosas ao lado de quem amamos. Mas essas certezas de nossas falhas não podem nos paralisar e sim nos empurrar em direção à reconstrução do “eu” onde seremos mudados, moldados e amadurecidos.
Que o erro de ontem é um aprendizado daquilo que pode não ser mais cometido no futuro e que vamos sair dessa batalha mais capacitados para vencermos a próxima luta. Porque a vida está aqui acontecendo a todo momento e ela nos quer em movimento, não parados pelo medo, não parados pelas lembranças, mas corajosos ao ponto de pegarmos tal medo, tais lembranças, e colocarmos tudo isso debaixo do braço e irmos assim mesmo. Pois às vezes a cura vem instantemente, mas em outros casos ela vem progressivamente à medida que avançamos sem olhar para trás.



(via Ela já foi verão)

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

LITURGIA DIÁRIA - JESUS VEIO CHAMAR OS PECADORES

 Resultado de imagem para JESUS CHAMA MATEUS
1a Leitura - Efésios 4,1-7.11-13
Leitura da carta de são Paulo aos Efésios.
4 1 Exorto-vos, pois, - prisioneiro que sou pela causa do Senhor -, que leveis uma vida digna da vocação à qual fostes chamados,
2 com toda a humildade e amabilidade, com grandeza de alma, suportando-vos mutuamente com caridade. 3 Sede solícitos em conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz. 4 Sede um só corpo e um só espírito, assim como fostes chamados pela vossa vocação a uma só esperança. 5 Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo. 6 Há um só Deus e Pai de todos, que atua acima de todos, por todos e em todos. 7 Mas a cada um de nós foi dada a graça, segundo a medida do dom de Cristo, 11 A uns ele constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, 12 para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo, 13 até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo.
Palavra do Senhor.

Salmo - 18/19A
Seu som ressoa e se espalha em toda a terra.

Os céus proclamam a glória do Senhor,
e o firmamento, a obra de suas mãos;
o dia ao dia transmite essa mensagem,
a noite à noite publica essa notícia.

Não são discursos nem frases ou palavras,
nem são vozes que possam ser ouvidas;
seu som ressoa e se espalha em toda a terra,
chega aos confins do universo a sua voz.
 
Resultado de imagem para JESUS CHAMA MATEUS

Evangelho - Mateus 9,9-13
Aleluia, aleluia, aleluia. A vós, ó Deus, louvamos, a vós, Senhor, cantamos, vos louva, ó Senhor, o coro dos apóstolos.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
9 9 Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, que estava sentado no posto do pagamento das taxas. Disse-lhe: "Segue-me. O homem levantou-se e o seguiu".
10 Como Jesus estivesse à mesa na casa desse homem, numerosos publicanos e pecadores vieram e sentaram-se com ele e seus discípulos. 11 Vendo isto, os fariseus disseram aos discípulos: "Por que come vosso mestre com os publicanos e com os pecadores?" 12 Jesus, ouvindo isto, respondeu-lhes: "Não são os que estão bem que precisam de médico, mas sim os doentes. 13 Ide e aprendei o que significam estas palavras: Eu quero a misericórdia e não o sacrifício. Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores."
Palavra da Salvação.


Jesus comendo com os pecadores e cobradores de impostos. Aquilo para os fariseus era um verdadeiro escândalo! 
Jesus disse que quem tem saúde não precisa de médico, mas sim, quem está doente.  O pecado pode ser sim, considerado uma doença. Quem está em pecado, é como se estivesse doente, uma doença da alma.  Pois, pecar de forma esporádica, pelo fato de não ter resistido a uma forte tentação, é uma coisa. Agora, viver em pecado, viver pecando habitualmente,  é realmente um estado enfermo muito grave.
Citemos, por exemplo, o caso de um VÍCIO. Ser um viciado, uma viciada, é uma doença que afeta não somente o corpo como também a nossa alma.
Estamos nos referindo aqui, não só os vícios de bebida e das drogas, mas também aos vícios de desvios de conduta. Esses últimos, afetam diretamente a nossa espiritualidade, comprometendo a nossa salvação eterna.
Deus está voltado para aqueles e aquelas que se desviaram do caminho do bem, e hoje correm o perigo de morrer em pecado e irem para o inferno.  E é por isso que: Haverá mais alegria no Céu quando um pecador se converte.
Não é a vontade do Pai que nós nos percamos pelos caminhos da esquerda, e vamos parar no abismo dessa caminhada. A vontade de Deus é que todos nos salvemos. Jesus disse que era do seu agrado, que nenhum de nós se perdesse. E foi por isso que Jesus disse:
“...eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”
“Quero misericórdia e não sacrifício”.  A elite judaica ganhava muito dinheiro com os sacrifícios do Templo. Os devotos queimavam animais em oferenda a Deus pelo perdão dos pecados. E esses animais eram comprados dos saduceus, que exploravam o povo, e principalmente os pobres, viúvas, etc.
Foi para combater essa prática inadequada e injusta de se redimir dos pecados, que Jesus disse esta frase. “Quero misericórdia e não sacrifício”.
Isso quer dizer que em vez de matar e queimar um animal e oferecê-lo a Deus Pai pelo perdão dos pecados, o certo para Jesus e para Deus, é fazer caridade, é ser misericordioso para com os necessitados. Desse modo, fica claro que a esmola, a caridade de modo geral, agrado aos olhos do nosso Pai, e serve para o perdão dos nossos pecados leves.
Então, se você é daquele tipo que sobe o Monte de joelhos, fica sem beber água, ou sem dormir para que Deus perdoe os seus pecados, pode parar com isso. Em vez dessa prática, de penitência, faça caridade! AJUDO OS POBRES, e o Pai que vê tudo lhe dará a recompensa, inclusive o perdão dos seus pecados veniais, ou leves.

Você agradecer a Deus por uma grande graça recebida? Então faça uma boa caridade! Pois tudo o que damos aos pobres é a Jesus que damos. Os mendigos são a presença viva de Jesus no meio de nós. Pode estar certo disso. Não precisa esfolar seus joelhos ou seus pés em uma caminhada dolorosa!
Também não adianta muito rezar, rezar e rezar, ficar a manhã inteira em oração, se você ignora o irmão que lhe estendeu a mão pedindo um pouco de comida. Pois a caridade fala muito mais alto do que o sacrifício de ficar rezando. De nada adianta furar o corpo com um objeto cortante, ou ficar 3 dias sem comer. Isso só vai prejudicar a sua saúde, do corpo que Deus lhe deu. Por que? Porque JESUS QUER MISERICÓRDIA EM VEZ DE SACRIFÍCIOS.
         
Deus perdoa você, à medida que você perdoar o  seu irmão. Deus perdoa e atende os seus pedidos, à medida que você atende aos pedidos de ajuda do seu irmão. Pois é impossível agradar um pai, e conseguir ajuda dele, se maltratamos os seus filhos.
É por isso que devemos tem sempre em nossa mente: Nossa fé tem de ser completa. Temos de amar a Deus sobre todas as coisas e amar o irmão como a nós mesmo. E amor ao nosso irmão é expresso em obras, em ações concretas de ajuda fraterna desinteressada.  
  José Salviano.