quarta-feira, 18 de julho de 2018

Liturgia Diária - Deus se revela aos pequenos

Resultado de imagem para jesus e seus discipulos

1a Leitura - Isaías 10,5-7.13-16
Leitura do livro do profeta Isaías.
10 5 “Ai da Assíria, vara de minha cólera e bastão que maneja o meu furor.
6 Eu o enviei contra uma nação ímpia, e o lancei contra o povo, o objeto de minha cólera, para que o entregasse à pilhagem e lhe levasse os despojos, e o calcasse aos pés como a lama das ruas.
7 Mas ele não entendeu dessa maneira, e este não foi o seu pensamento. Ele só pensa em destruir, em exterminar nações em massa.
13 Foi pela força de minha mão que eu agi, e pela minha destreza, porque sou hábil. Dilatei as fronteiras, saqueei os tesouros e lancei por terra aqueles que estavam no trono.
14 Minha mão tomou como um ninho a riqueza dos povos. Assim como se recolhem os ovos abandonados, eu reuni a terra inteira. Ninguém moveu a asa, nem abriu o bico, nem piou.
15 Acaso o machado se vangloria à custa do lenhador? Ou a serra se levanta contra o serrador? Como se a vara fizesse agitar aquele que a maneja, como se o bastão fizesse mover o braço!
16 Por isso o Senhor Deus dos exércitos fará enfraquecer seus robustos guerreiros, e debaixo de sua glória acender-se-á um fogo como o de um incêndio”.
Palavra do Senhor.

Salmo - 93/94
O Senhor não rejeita o seu povo. 
Eis que oprimem, Senhor, vosso povo
e humilham a vossa herança;
estrangeiro e viúva trucidam,
e assassinam o pobre e o órfão! 

Eles dizem: “O Senhor não nos vê
e o Deus de Jacó não percebe!”
Entendei, ó estultos do povo;
insensatos, quando é que vereis? 

O que fez o ouvido não ouve?
Quem os olhos formou não verá?
Quem educa as nações não castiga?
Quem os homens ensina não sabe? 

O Senhor não rejeita o seu povo
e não pode esquecer sua herança:
voltarão a juízo as sentenças;
quem é reto andará na justiça.

Evangelho - Mateus 11, 25-27
Aleluia, aleluia, aleluia. Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelaste os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Mt 11,25)
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
11 25 Por aquele tempo, Jesus pronunciou estas palavras: "Eu te bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequenos.
26 Sim, Pai, eu te bendigo, porque assim foi do teu agrado.
27 Todas as coisas me foram dadas por meu Pai; ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho quiser revelá-lo”.
Palavra da Salvação.

 Reflexão

Jesus louva ao Pai por que Ele escondeu a verdade aos sábios e entendidos e as revelou aos pequenos e humildes.
Por sábios e entendidos, hoje nós interpretamos como sendo aqueles que se acham os tais, os arrogantes, os que acreditam no poder aquisitivo, nas coisas materiais, e desprezam a palavra de Deus.
Esses são os soberbos, os autos suficientes, semelhantes aos doutores da Lei e fariseus, que já se consideravam salvos, e condenavam os pobres por eles não saberem ler, e portanto não conheciam a Lei.
A prática de Jesus é a prática da justiça. E por isso, aos injustos essa prática não é nem um pouco agradável.
Alguns desses soberbos podem até conhecer a palavra, porém, eles não se dispõem em praticá-la.
E quando Jesus disse que “quem não crer já está condenado”, podemos entender nessa frase, pelo menos duas coisas básicas:
1ª- Jesus não está dizendo apenas crer, mas sim, crer e praticar a palavra.    
2ª-Ao dizer: ...já está condenado, Jesus quis dizer que a condenação é processo automático. Ou seja, nós mesmos nos condenamos.
Assim: Deus não nos condena, e sim, nós é que nos condenamos.
Pois ao rejeitar a prática de Jesus, as pessoas dão a si mesmo a sua própria sentença. Que é a CONDENAÇÃO ETERNA.
AS NOSSAS ESCOLHAS PODEM NOS SALVAR OU NOS SENTENCIAR.
Desprezar a palavra de Deus é escrever a sua própria sentença. É optar pela condenação eterna.
Os sábios e entendidos, os cheios de si e  arrogantes aqueles  que se bastam a si mesmos, são assim.
Eles pensam, e dizem: Eu não preciso de Deus! Eu tenho muito dinheiro, e com ele eu compro tudo. Absolutamente tudo! SERÁ MESMO?
Essa soberba diante da palavra de Deus e da prática de Jesus, os impede de aceitar humildemente a palavra de Jesus, pois humildade é uma palavra que não existe em seus vocabulários pessoais.
Para eles, ser humilde é ser pobre, idiota, imbecil, fraco, incompetente, e acima de tudo um perdedor.
Eles que já nasceram ricos, também já nasceram vencedores!
O MAIOR NO REINO DOS CÉUS TEM DE SER O MENOR...
Percebeu a discrepância? A prática e a palavra de Jesus não combina com a filosofia de vida, com os valores dos vencedores. Palmas para eles!
Hoje Jesus louva ao Pai pelos pequeninos, pela sua humildade, pela simplicidade, pelo desarmamento interior, que os faz merecedores de  ficar sabendo de como deveremos fazer para um dia estar na Glória Eterna. Pois nesta vida terrena, a “glória” não foi dos fracos, mas sim dos poderosos!
E segundo Jesus, na outra vida, as coisas se inverterão.
Se você leu até aqui, então você está do lado certo. E você é um verdadeiro vencedor, uma poderosa, pois está do lado daquele que pode tudo. Por que você segue Jesus, aquele que tem todo o poder no Céu e na Terra
 
 
 

José Salviano.

Como lidar com as decepções?

Imagem relacionada

Confira 3 dicas eficazes para superar as decepções do dia a dia.

Muitas vezes nos deparamos com situações que nos levam a refletir até que ponto podemos confiar nas pessoas que nos rodeiam.
É verdade que todos sofremos decepções, colocamos expectativas nos outros e quase sempre nos enganamos. Afinal, as expectativas correspondem ao que é ideal para nós mesmos e dificilmente será assim para o outro também.
A decepção provoca frustração e é importante aprender a superar isso, desenvolvendo habilidades necessárias para conseguirmos lidar de forma funcional com as nossas emoções.
Viver experiências frustrantes pode ser muito importante no desenvolvimento humano, pois é exatamente essa discrepância que nos permite avançar, enfrentar a realidade e progredir.
Precisamos avaliar que cada indivíduo é um ser único, com pensamentos e atitudes próprias, sujeito a erros e acertos.
Quando compreendemos que também deve ser difícil para os outros conviverem conosco, fica mais aceitável encarar as relações complicadas com as quais nos deparamos no dia a dia.
Se não buscamos compreender e aceitar a maneira dos outros serem, acabamos por ficar sós – e ninguém cresce sozinho, afinal, somos seres sociais.
Vale ressaltar que compreender não significa conviver com pessoas que nos fazem mal ou que não correspondem aos princípios básicos de boa convivência.
Isso seria um contrassenso, já que também é de nossa responsabilidade evitar nosso próprio sofrimento. No entanto, muitas coisas podem ser relevadas em favor de um bom relacionamento, e é aí que entra o respeito pelo próximo.
Confira 3 dicas que podem ajudar muito esse processo:
– Não alimente mágoa; ela só faz mal para você.
– Aceite que as decepções fazem parte da vida.
– A tristeza é natural, mas não deve controlar você.
A partir dessa compreensão mude seu estado mental e lembre-se que você não precisa aceitar as ações dos outros, mas pode e deve respeitá-las. Isso certamente acrescentará positividade à sua vida.
Vale tentar!



(via Suely Buriasco)

terça-feira, 17 de julho de 2018

Liturgia Diária - Corazim e Betsaida foram indiferentes.


 Cidades destruídas posteriormente por terremotos restando apenas ruínas tornando-as inabitadas até os dias de hoje. Hoje Corazim é considerado Parque Arqueológico Nacional. 
 
 
1a Leitura - Isaías 7,1-9
Leitura do livro do profeta Isaías.
7 1 No tempo de Acaz, filho de Joatão, filho de Ozias, rei de Judá, Rasin, rei de Arão, foi com Pecá, filho de Romelia, rei de Israel, contra Jerusalém para lhe dar combate; mas não pôde apoderar-se dela.
2 Quando se soube, na casa de Davi, que (o exército da) Síria estava acampado em Efraim, o coração do rei e o de seu povo ficaram perturbados como as árvores das florestas agitadas pelos ventos.
3 Então disse o Senhor a Isaías: “Vai ter com Acaz, com Sear-Jasub, teu filho, na extremidade do aqueduto do reservatório superior, no caminho do campo do pisoeiro”.
4 E dize-lhe: ‘Tem ânimo, não temas, não vacile o teu coração diante desses dois pedaços de tições fumegantes. (Diante do furor de Rasin, da Síria, e do filho de Romelia).
5 Visto que a Síria decidiu tua perdição, com Efraim e o filho de Romelia, dizendo:
6 Vamos contra Judá, nós o bateremos, e nos apoderaremos dele, e proclamaremos rei o filho de Tabeel’.
7 Eis o que disse o Senhor Javé: ‘Isso não acontecerá, essas coisas não se realizarão,
8 porque a capital da Síria é Damasco, e a cabeça de Damasco é Rasin. (Dentro de sessenta e cinco anos Efraim desaparecerá do rol dos povos.)
9 E a capital de Efraim é Samaria, e a cabeça de Samaria é o filho de Romelia. Se não o crerdes, não subsistireis’”.
Palavra do Senhor.

Salmo - 47/48
O Senhor estabelece sua cidade para sempre. 
Grande é o Senhor e muito digno de louvores
na cidade onde ele mora;
seu monte santo, esta colina encantadora
é a alegria do universo. 

Monte Sião, no extremo norte situado,
és a mansão do grande rei!
Deus revelou-se, em suas fostes cidadelas,
um refúgio poderoso. 

Pois eis que os reis da terra se aliaram
e todos juntos avançaram;
mal a viram, de pavor estremeceram,
debandaram perturbados. 

Como as dores da mulher sofrendo parto,
uma angústia os invadiu;
semelhante ao vento leste impetuoso,
que despedaça as naus de Társis.

Evangelho - Mateus 11,20-24
Aleluia, aleluia, aleluia. Oxalá ouvísseis hoje a sua voz. Não fecheis os corações como em Meriba! (Sl 94,8)
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
11 20 Jesus começou a censurar as cidades, onde tinha feito grande número de seus milagres, por terem recusado arrepender-se:
21 “Ai de ti, Corozaim! Ai de ti, Betsaida! Porque se tivessem sido feitos em Tiro e em Sidônia os milagres que foram feitos em vosso meio, há muito tempo elas se teriam arrependido sob o cilício e a cinza.
22 Por isso vos digo: no dia do juízo, haverá menor rigor para Tiro e para Sidônia que para vós!
23 E tu, Cafarnaum, serás elevada até o céu? Não! Serás atirada até o inferno! Porque, se Sodoma tivesse visto os milagres que foram feitos dentro dos teus muros, subsistiria até este dia.
24 Por isso te digo: no dia do juízo, haverá menor rigor para Sodoma do que para ti!”
Palavra da Salvação.

 Reflexão

Corazim e Betsaida foram indiferentes aos milagres de Jesus, indiferentes a sua palavra de vida eterna.
No mundo de hoje temos  muitas pessoas indiferentes a palavra de Deus. Indiferentes ao seu chamado.
Corazim e Betsaida, são muitos que hoje, mesmo continuando recebendo as graças de Deus, como a chuva, que alimenta as plantas que nos proporcionam o alimento, o Sol que nos ilumina e é fonte de vida, o próprio ar que embora grande parte já esteja poluído, ainda nos fornece o oxigênio necessário à nossa existência, entre outras maravilhas, esses nossos irmãos, embora recebendo de Deus tudo o que necessitam para viver, continuam indiferentes à palavra, indiferentes à missa, ao Evangelho, ao chamado de Deus para a conversão.
Jesus disse que a incredulidade é o maior pecado. “Quem não crer já está condenado”. E a indiferença, é a maior demonstração de falta de fé.
Pois aquele e aquela que critica a Igreja, os padres, não são na verdade, totalmente incrédulos. Lá no fundo, o instinto da fé os incomoda, semelhante àquela moça que se sente incomodada com a presença de um certo rapaz.
E com toda certeza, se isso lhe acontece, se a presença dele mexe com o seu sossego, é por que ela está se apaixonando por ele.
Ao contrário, quando somos totalmente indiferentes a pessoa do sexo oposto, é por que não sentimos nada por ela, é por que não nos sentimos atraídos por aquela pessoa.
Se você tem ódio dela, se a sua presença lhe irrita, lhe incomoda, pode ter certeza que aí tem. Cuidado, pois se ela mexe com você, é por que ela o  atraí de forma muito profunda.
Portanto, o contrário do amor, não é o ódio, mas sim, a indiferença.
Ser indiferente a palavra de Deus, é a pior coisa que pode acontecer na mente de alguém. Aos olhos humanos, parece uma coisa sem solução. Porém, para Deus nada é impossível.
Por isso, rezemos pelos nossos jovens, rezemos pelos nossos filhos, os quais, pela má influência dos amigos e da mídia, estão indiferentes a Deus.
Antes, quando crianças, você os ensinou a rezar, os levou ao catecismo, eles participavam da missa...
Hoje, infelizmente, os nossos jovens estão indiferentes a tudo isso. As nossas missas estão vazias de jovens. Sentimos a falta da presença deles.
O que podemos fazer além de rezar por eles?
Parece que além da oração, o que mais podemos fazer é dar-lhes o nosso bom exemplo de cristãos autênticos, firmes na vida devotada a Deus. Rezar diante deles, ouvir os vídeos católicos de reflexões no  YouTube perto deles, ler a palavra quando eles estão presentes, o convidemos para ir à missa, mesmo que já sabemos qual será a sua resposta, e assim por diante.
E o resto, deixemos que Deus faça. Façamos a nossa parte, rezemos por eles, e confiemos na ação de Deus. Pois Deus pode tardar, mas não faltará.
 
 
 
 

José Salviano.

Quando o diabo ataca

MAN,SMOKE
Boudewijn Berends | CC BY 2.0

Ele quer roubar a sua eternidade desde antes de você nascer. Você vai permitir?

Nunca gostei de mencioná-lo em meus escritos. Ele é orgulhoso e não desejo me referir a ele. Mas, às vezes, devemos recordar que ele existe e está aí para nos destruir. O fulano acaba com as famílias, os padres, as crianças. Não há nada sagrado para ele. Só exala ódio e rancor. 
Uma vez, li que um santo caminhava pelas montanhas e chegou a um povoado. Na entrada, encontrou o malvado descansando. 
– O que você faz aqui? – perguntou o santo. Vai entrar para tentar seduzir os moradores?
E ele respondeu:
– Aqui não. Tenho uns ajudantes que fazem maravilhas aí e me ajudam a fazê-los pecar. São aqueles que blasfemam em cada frase, os que falam mal dos outros, semeiam mentiras, os que criam intrigas, os que são incapazes de perdoar e vivem odiando.  
O santo se desviou do local e chegou até um mosteiro, onde encontrou uma verdadeira batalha, uma legião de demônios cercando o lugar. Ele perguntou o que eles faziam lá. 
– Estamos aqui porque aqui estão os que rezam, confiam em Deus, lêem as escrituras e convivem em paz. É difícil fazê-los pecar – respondeu um deles. 
Quando o diabo não pode seduzir nem enganar as pessoas, ele se mostra tal qual é: “CRUEL”.
Costumo dizer que o maligno não é mal; é “malíssimo”. Ele quer roubar a sua eternidade desde antes de você nascer. Você vai permitir isso?
O objetivo dele é te colocar em um lugar de sofrimentos e angústias, longe de Deus e de todos os que você ama. Ele quer que você sofra eternamente, pois ele te odeia. Você vai dar este gostinho para ele? Ou vai lutar para salvar a sua alma? 
Eu conheço alguns casos de pessoas que conseguiram vencê-lo com ajuda e guia espirituais, com oração fervorosa e  com os sacramentos de nossa santa Igreja. 
Não deixe que o mal te ensine o caminho que você tem que seguir. Peça perdão. Recupere o seu estado de graça. Mude o rumo de sua vida e permaneça na presença de Deus. Uma boa confissão ajuda muito. 
A Bíblia é muito clara. Ela dá as armas de que precisamos nesta batalha espiritual. Basta que você leia as sagradas Escrituras para saber como se defender do demônio e de suas tentações. “Porque a palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração.Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas” (Hebreus 4,12-13). 
Coragem! Você pode vencer! 




Cláudio de Castro

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Liturgia Diária - Quem é minha mãe?


 
 Imagem relacionada
1a Leitura - Zacarias 2,14-17
Leitura da profecia de Zacarias.
2 14 “Solta gritos de alegria, regozija-te, filha de Sião. Eis que venho residir no meio de ti - oráculo do Senhor.
15 Naquele dia se achegarão muitas nações ao Senhor, e se tornarão o meu povo: habitarei no meio de ti, e saberás que fui enviado a ti pelo Senhor dos exércitos.
16 O Senhor possuirá Judá como seu domínio, e Jerusalém será de novo (sua cidade) escolhida.
17 Toda criatura esteja em silêncio diante do Senhor: ei-lo que surge de sua santa morada”. 
Palavra do Senhor.


Salmo - Lc 1
O Poderoso fez por mim maravilhas
e santo é o seu nome.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu salvador.

Pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.
O Poderoso fez por mim maravilhas
e santo é o seu nome!

Seu amor, de geração em geração,
chega a todos os que o respeitam.
Demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos.

Derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou.
De bens saciou os famintos
e despediu, sem nada, os ricos.

Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,
como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos para sempre.


Evangelho - Mateus 12,46-50
Aleluia, aleluia, aleluia. Feliz quem ouve e observa a palavra de Deus! (Lc 11,28)
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
12 46 Jesus falava ainda à multidão, quando veio sua mãe e seus irmãos e esperavam do lado de fora a ocasião de lhe falar.
47 Disse-lhe alguém: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar-te”.
48 Jesus respondeu-lhe: “Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?”
49 E, apontando com a mão para os seus discípulos, acrescentou: “Eis aqui minha mãe e meus irmãos.
50 Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.
Palavra da Salvação.

 Reflexão

Jesus, enquanto homem, tinha uma família consanguínea. E enquanto Deus, Ele construiu, formou uma família universal, e foi por isso que disse: “Todo aquele que faz a vontade do meu Pai é meu irmão, minha irmã e minha mãe”. 
O desejo do Pai é que todos os seres humanos façam parte dessa família universal. Porém, infelizmente, nem todos os mortais aceitam o convite de Deus. Pois nem todos fazem a vontade do Pai.
Segundo o Filho de Deus, essa é a condição sine qua non fazemos parte da família de Jesus, o homem-Deus.
Essa é a condição sem a qual não pertencemos à  família de Jesus. A sua verdadeira família, a família do Filho de Deus no meio de nós.
Ao dizer aquelas palavras que provavelmente causou muito espanto, Jesus não estava de jeito nenhum repudiando a sua família consanguínea, muito menos a sua mãe Maria.
O que Jesus quis expressar, é que Ele é muito mais do um filho de uma mãe terrena, que Ele tinha uma missão muito maior do que o dever e a obrigação para com seus familiares de sangue.
O seu amor por Maria foi inquestionável. Porém, Jesus, o Filho de Deus, estendia o seu amor incomensurável e incondicional, por todos nós, por toda a humanidade.
E esse amor por nós, ao mesmo tempo em que é incondicional, é um amor que respeita a nossa liberdade de aceitar fazer a vontade de Deus, ou não. Por isso Jesus deixou bem claro: Que todos fazemos parte da sua família, desde que aceitemos fazer a vontade do seu Pai que está nos Céus e em toda parte.
É maravilhoso saber então que somos irmãos de Jesus, desde que façamos a vontade do Pai, éclaro.
Em outra ocasião, Jesus disse: Eu sou vosso amigo!
Portanto, Jesus é nosso Deus, nosso irmão, e nosso amigo. Amigo de verdade e não amigo por interesse, como o mundo está cheio deles.
Mas não nos esqueçamos que a partir do momento em que deixamos de fazer a vontade do Pai, essa relação de parentesco com o Filho de Deus, será cortada!
É uma situação muito triste e lamentável! Porém, o próprio Jesus nos deixou a solução para  essa grande perda. Ele nos deixou o Sacramento da Confissão, pelo qual poderemos reatar os laços familiares com Ele, e desfrutar da vida da Graça Santificante, até que o pecado novamente nos derrube.
Assim, a nossa santidade é um cair e levantar. Roguemos ao Pai amoroso, que não permita que quando chegar a nossa hora, nós estejamos em baixa, em pecado, longe da vontade do Pai.
Roguemos a Deus para que  naquele momento final da nossa existência, nós estejamos na sua amizade, com a nossa alma pura, e assim merecermos a glória eterna!
Esforcemos, pois para que o tempo em que permanecemos na graça de Deus seja muito maior do que o tempo em que caímos em desgraça!
Que Deus tenha pena de nós.
Oremos. Senhor tende piedade de nos que somos miseráveis pecadores, inclinados aos valores terrenos e carnais, inclinados ao pecado que nos separa da família de Jesus, que nos desliga do Céu! Amém.
 
 
 

José Salviano